Curso de Graduação em Artes Cênicas
  • Palestra

    Publicado em 11/06/2018 às 17:43

    O TRABALHO DO ATOR SOBRE SI MESMO SEGUNDO O “SISTEMA” DE STANISLÁVSKI

     

     

    No dia 15 de junho, o Curso de Artes Cênicas da UFSC tem o prazer de receber a Prof(a) Dr(a) Michele Almeida Zaltron que proferirá a palestra “O trabalho do ator sobre si mesmo segundo o “sistema” de Stanislávski”.

     

    Data: 15/06/2018 (sexta-feira)

    Horário: 14h

    Local: Sala de Projeções do Bloco D do Centro de Comunicação e Expressão (CCE), 1° andar.

     

    Michele Almeida Zaltron é professora e pesquisadora das áreas de atuação e direção teatral, Doutora em Artes Cênicas pelo PPGAC – UNIRIO (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – 2016), com Doutorado Sanduíche na Escola-estúdio do Teatro de Arte de Moscou – Moscow Art Theatre School (2014-2015) – Rússia. Mestre em Ciência da Arte pelo PPGCA – UFF (Universidade Federal Fluminense – 2011) e Bacharel em Artes Cênicas nas habilitações Interpretação Teatral (2003) e Direção Teatral (2002) pela UFSM (Universidade Federal de Santa Maria).

    Konstantin Stanislávski (1863-1938), pedagogo, ator e encenador russo, buscou a organicidade na cena teatral tentando escapar dos modos de atuação vigentes em seu tempo que se apoiavam em clichês e normas estabelecidas. Opôs-se ao regime das “estrelas” instituídos no teatro da época, propondo uma ética profissional que exige do artista seu envolvimento integral com a criação. Desenvolveu, a partir da observação da vida, no que diz respeito ao homem em ação, um “sistema” para o ator e encenador. Os fundamentos deste “sistema” se reúnem em torno da prática da ação física e tal prática ainda hoje se faz presente em inúmeros processos teatrais que têm no ator seu elemento princeps do espetáculo. As discussões que a prática de Stanislávski levantou ainda hoje são pertinentes ao trabalho do ator e do encenador, pois dizem respeito à vivência orgânica em cena.

     

     


  • Convite ao Processo de Criação das LOGO MARCAS do Departamento e do Curso

    Publicado em 06/06/2018 às 16:59

    Ao Corpo Docente, Discente e Servidores Técnicos Adminidtrativos do Departamento de Artes e do Curso de Artes Cênicas.

    Convoco a todos/as a participarem do processo de criação das LOGO MARCAS do Departamento de Artes e do Curso de Artes Cênicas.

    As Logo Marcas serão desenvolvidas pela Agência LOGO do Departamento de Design, coordenado pelo Prof. Luiz Salomão Ribas Gomez.

    Para iniciarmos o processo criativo faremos uma reunião, com os/as interessados/as em fazer parte do grupo de trabalho, no dia 12 de junho às 17:h00, na sala 308D.

    Na ocasião serão estabelecidas as atividades necessárias e seu funcionamento, bem como serão montadas as equipes de trabalho.

    Atenciosamente,

    Prof. Dr. Luiz Fernando Pereira L F

    Chefe do Departamento de Artes


  • Café com Dança: ciclo de palestras e debates

    Publicado em 05/06/2018 às 15:42

    Ciclo 3 – Dança e Articulações

     

    Conversa e algo mais com o bailarino Tuca Pinheiro:

                 A URGÊNCIA DA INEFICIÊNCIA

    Dia: 08 de junho de 2018

    Horário: 18h30

    Local: Caixa Preta, bloco D, CCE, UFSC.

    Entrada gratuita

    O ciclo de palestras e debates Café com Dança recebe Tuca Pinheiro, bailarino, diretor coreográfico, criador, professor e pesquisador em dança. O artista se propõe a compartilhar a pesquisa que vem desenvolvendo desde 2013 com o objetivo de investigar novos dispositivos que auxiliem o bailarino intérprete/criador em seus processos de criação/composição coreográfica em dança contemporânea. Tuca Pinheiro parte do que ele denomina “esburacamento” dos repertórios de movimentos, dos arquivos e dos códigos individuais já existentes. Esburacamento enquanto conceito de possibilidade de abrir frestas e deixar que ideias outras circulem. A instabilidade é assumida como suporte para a investigação em um entendimento de criação artística enquanto uma prática não assertiva.

     

    Oficina com Tuca Pinheiro:

                 A URGÊNCIA DA INEFICIÊNCIA: dispositivos para processos de criação coletiva em dança contemporânea.

    Período: 08 e 09 de junho de 2018

    Local: Cenarium Escola de Dança

    Rua Eduardo Gonçalves D’avila 150, Itacorubi

    Público alvo: bailarinos(as), artistas e pessoas interessadas na arte do movimento

    Inscrições gratuitas: 25 vagas

    Inscrição: enviar breve currículo e carta de intenção para o e-mail:

    ensaioparaalgo@gmail.com até o dia 05/06/2018.

    Esta oficina é uma das ações do projeto  ensaio para algo que não sabemos – laboratório de dança contemporânea formado por Karina Collaço e Daniela Alves –  realizado com patrocínio do Estado de Santa Catarina, Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Fundação Catarinense de Cultura, FUNCULTURAL e Edital Elisabete Anderle/2017.

    Apoio: Kirinus Centro de Movimento. Parceria: Cenarium Escola de Dança.

    Mais informações: ensaio para algo que não sabemos (www.facebook.com/ensaioparaalgo)

    Sobre Tuca Pinheiro:

    Formado pela Escola de Dança da Fundação Clóvis Salgado (BH-MG),Stúdio Anna Pavlova (BH-MG), Centro Mineiro de Danças Clássicas (BH-MG), Studio Tatiana Leskova (RJ), prosseguiu seus estudos no Brasil e no exterior e fez parte do elenco de companhias como: Cia de Dança da Fundação Clóvis Salgado (1983-BH-MG), Balé do Teatro Guaíra (1984/1988-Curitiba-PR), Grupo Artdança (1988/1991- BH-MG), Grupo de Dança 1º Ato (1991/1999-BH-MG), Benvinda Cia de Dança (2000-BH-MG), ZikziraPhysicalTheatre (2002/2005Inglaterra/Brasil), Meia Ponta Cia de Dança (2006/2010-BH-MG), ClubeUr=Hor (2010/2013-BH-MG).

    Bailarino convidado a integrar o elenco do longa-metragem “Cinzas de Deus” (2003-2004), dirigido por André Semenza e Fernanda Lippi, uma produção da ZikyziraPhysicalTheatre. Bailarino convidado a protagonizar o vídeo-documentário de dança “Uma Cachaça que se Chama Dança” dirigido por Cristiane Oliveira (coprodução do FID 2008). Artista convidado a coordenar a Residência Artística ZAT (Zona Autônoma Temporária) FID 2009 com a bailarina e coreógrafa Emmanuelle Huyn (França) e a ZAT FID 2011 com a bailarina e coreógrafa Lynda Gaudreau (Canadá).

    Sobre ensaio para algo que não sabemos:

    Compartilhamentos, atravessamentos, resistência. ensaio para algo que não sabemos é um laboratório de composição em dança contemporânea formado por Karina Collaço e Daniela Alves, subsidiado pelo desejo-incumbência de existir e fazer existir no mundo por meio da dança: uma dança que não parte de padrões pré-estabelecidos e aceitos pela sociedade em geral, mas que instaura novas concepções de sentido e significado; uma dança que parte de um corpo vulnerável e aberto, suscetível ao acesso de suas próprias e únicas experiências e também a novas experimentações a que se propõe, e não um corpo que apenas repete formas e procedimentos “bem-sucedidos” aos olhos do grande público. Entendendo o corpo como dispositivo e a arte como mecanismo de transformação, o ensaio se propõe a investigar as possibilidades de composição que o corpo estabelece com a potencialidade do gesto, assumindo um efetivo cruzamento entre arte e vida, abrindo frestas de interferência a novas significações simbólicas e poéticas. 

    Direção: Karina Collaço e Daniela Alves

    Sobre o projeto Café com Dança:

    O projeto Café com Dança foi imaginado como uma forma de oportunizar momentos de intercâmbio entre artistas, professores, pesquisadores, coreógrafos e estudantes da área artística e comunidade interessada na reflexão sobre dança na contemporaneidade. Teve início no ano de 2013 com o intuito de promover debates qualificados sobre questões relevantes e atuais envolvendo a dança em suas perspectivas pedagógica, histórica, sociopolítica e artística; assim como de contribuir para a formação de um público crítico e receptivo a questões relativas à dança e à arte contemporânea. Ao longo dos anos vem promovendo ações na UFSC, tais como a organização de palestras, mesas de discussão, projeções de vídeo-dança, vídeo-documentários, vídeo-palestras e atividades afins.

    Ficha Técnica do Café com Dança:

    Coordenação: Vera Torres – DEF/CDS

    Bolsista: Madalena Mendes Brito

    Identidade Visual: Mônica de Souza e Heliziane Barbosa

    Apoio:  SeCArte, CDS e CCE /UFSC


  • 10 Anos da implantação do curso de graduação em Artes Cênicas

    Publicado em 04/05/2018 às 18:40

    Caros e caras,

     

    No ano de 2018, o Curso de Artes Cênicas comemora 10 anos de implantação. Sendo assim, é com prazer que a coordenação convida a todos(as) para a chamada de inscrição de projetos dos(as), egressos(as), discentes, docentes e STAEs do curso de Artes Cênicas que comporão a programação de comemoração que acontecerá no segundo semestre de 2018.

    Para comemorar, montamos um projeto que pretende evidenciar a existência das Artes Cênicas dentro da universidade fazendo um resgate dos trabalhos apresentados dentro do curso. Além disso, propusemos alguns eixos temáticos que julgamos necessários discutir pedagogicamente junto a toda a comunidade acadêmica e sociedade em geral.

    O projeto foi pensado para que todos(as) participem, da maneira que mais se sentirem à vontade.

    No link abaixo é possível encontrar o edital de chamada para inscrição de atividades artísticas, bem como o formulário de inscrição.

    Certa da colaboração de todos(as), juntos(as) faremos uma grande festa!

     

    Abraços,

    Coordenação.

     

    EDITAL: 10 anos da implantação do curso de graduação em Artes Cênicas

    Formulário de inscrição


  • Convite: 4ª Semana da Dança

    Publicado em 04/05/2018 às 14:52
    É com prazer que a coordenação do curso de graduação em Artes Cênicas da UFSC  convida a todas e todos para prestigiarem mais uma edição da Semana da Dança da UFSC.

     

    IV Semana da Dança UFSC ocorrerá entre 07 a 11 de maio de 2018, propondo encontros entre danças populares e danças contemporâneas. Entre as atrações teremos os renomados bailarinos e coreógrafos Antonio Nóbrega e Luiz de Abreu e espetáculos de artistas locais premiadas. Além disso, acontecerá mais uma edição do Café com Dança, trazendo a retrospectiva de Luiz de Abreu como artista negro no cenário da dança contemporânea brasileira. A Semana da Dança conta ainda com uma oficina do conceituado Grupo Cena 11 Cia de Dança e tantas outras oficinas gratuitas e abertas para comunidade, além do ensaio aberto da Dois Pontos Cia de Dança-Teatro. Convidamos todas e todos para prestigiar, experimentar e compartilhar espetáculos, oficinas e debates promovidos por diversos artistas/profissionais da dança.

    A Semana da Dança é um projeto realizado com o apoio do Estado de Santa Catarina, Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Fundação Catarinense de Cultura, FUNCULTURAL e Edital Elisabete Anderle/2017 e promovido pela Secretaria de Cultura e Arte (SeCArte), com o apoio do Centro de Desportos e do Centro de Comunicação e Expressão, assim como do Departamento de Artes (ART) e Departamento de Cultura e Eventos da UFSC.

    Mais informações: https://www.facebook.com/semanadadancaufsc/

    Ficha técnica
    Curadoria, organização e coordenação: Vera Torres, Débora Zamarioli, Maria de Lourdes Borges e Rosemar da Silva.
    Equipe de Produção: Dayane Ros, Mariana Barreiros, Lucas de Lima, Ana Lúcia Moraes, Ivo Caoê Baptiston, Fernanda Luft e Rogéria Moreira Couto.

    Identidade Visual: Mônica de Souza e Heliziane Barbosa
    Realização: FAPEU e SeCArte/ UFSC
    Apoio: Departamento de Cultura e Eventos/SeCArte/UFSC
    Departamento de Artes/CCE/UFSC
    Centro de Desportos/UFSC


  • O Curso de Artes Cênicas convida toda a comunidade acadêmica para a Aula magna

    Publicado em 26/02/2018 às 13:01

    CENA, GÊNERO e ATIVISMOS DECOLONIAIS,

    Ministrada pela Profª Drª Stela Fischer

     

    Sobre a aula:

    Este encontro propõe um diálogo, partindo das epistemologias decoloniais, para compreender como os enfrentamentos aos processos de dominação e colonialidades (de poder, conhecimento, ser e, principalmente, de gênero) têm sido tratados no âmbito das artes cênicas latino-americanas.

     

    Sobre a ministrante:

    Stela Fischer é doutora em Artes Cênicas na Universidade de São Paulo. Autora do livro Processo Colaborativo e Experiências de Companhias Teatrais Brasileiras (Hucitec, 2010). É professora da Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR/FAP) e do Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. É responsável pelo Rubro Obsceno, agrupamento de mulheres artistas com a finalidade de discutir as questões de gênero nas artes da cena.

     

    Serviço:

    Data: 02/03/2018

    Horário: 20h

    Local: Espaço Caixa Preta, Bloco D, CCE

    Realização: Profª Drª Débora Zamarioli e Profª Drª Priscila Padilha (Coordenação do Curso de Artes Cênicas UFSC)

    Apoio: Departamento de Artes/ Centro de Comunicação e Expressão

    Foto Roderick Steel

    Foto Frederico Chigança

    Foto: Bel Matos

    Foto: Lorie Novak


  • Segunda Etapa de Matrículas

    Publicado em 09/02/2018 às 13:09

    A segunda etapa de matrículas começa hoje, sexta-feira, dia 09 de fevereiro, e encerra no dia 14, próxima quarta-feira.

    Este ajuste de matrícula é feito online, via CAGR.


  • Matrícula 2018/1

    Publicado em 04/12/2017 às 12:50

    Lembramos que de 05 a 11 de dezembro acontece o período de matrículas online para o semestre 2018.1

    Consultem a grade de horários neste link: http://cagr.sistemas.ufsc.br/modules/comunidade/cadastroTurmas/index.xhtml e façam suas matrículas 🙂


  • Café com Dança: ciclo de palestras e debates

    Publicado em 27/11/2017 às 17:08

    Café com Dança: ciclo de palestras e debates

    Ciclo 3: Dança e Articulações

     

    DANÇA E DEFICIÊNCIA – DESTRAVANDO INDAGAÇÕES.

     

    Palestra e debate comCarla Vendramin (UFRGS)

                                          Com a presença de Ana Luiza Ciscato

     

    Dia: 04 de dezembro

    Horário: 14h30

    Local: Sala Pitangueira, hall do segundo piso do Centro de Cultura e Eventos da UFSC.

     

    Dança inclusiva, dança integrada, dança com grupo de habilidades mistas, dança com pessoas especiais, com pessoas com deficiência. Este é um universo diverso que não é nomeado de forma única ou fixa, visto que, o próprio vocabulário está ligado a um processo que implica as relações sociais que estamos inseridos e, nele, a imagem e representação as quais pessoas com deficiência estão atreladas e as quais se pretende desafiar. O fazer em dança se desdobra com a multiplicidade dos corpos e revela questões específicas dentro da variabilidade dos contextos e das propostas. O processo de criação de um artista de nível profissional em dança, que pesquise a partir da sua própria experiência da deficiência, contém questões específicas sobre o desenvolvimento de seu trabalho. Um grupo misto de pessoas com e sem deficiência possuirá outras questões sobre sua prática que, ainda é oscilante, dependendo de estar atrelado a uma conjuntura comunitária, institucional, reabilitatória, ou se estiver imerso na cena da dança. Enquanto existem variações sobre o desenvolvimento da prática, metodologias usadas e processos de criação coreográfica em cada caso, no que se refere a participação de pessoas com deficiência na dança, as questões sociais, de acessibilidade e de representatividade são comuns a todos. A conversa no Café com Dança vai fomentar algumas destas indagações referentes a temática dança e deficiência.

     

    Sobre as convidadas:

     

    Carla Vendramin é professora no Curso de Licenciatura em Dança da ESEFID – UFRGS e é coordenadora do projeto Diversos Corpos Dançantes nesta instituição. É Mestre em coreografia pela Middlesex University, Londres, Reino Unido, 2008. Na Inglaterra, trabalhou em projetos educacionais da Cia de Dança Candoco, entre 2005 e 2010.

     

    Ana Luiza Ciscato é pedagoga, professora de dança e coreógrafa. É formada em dança clássica pela Royal Academy of Dance de Londres (Brasil,1984) e pela metodologia cubana de dança clássica (Cuba, 1992); pós-graduada em Psicoballet em Cuba (1992). Desde 2014 coordena a Cia. de Dança Lápis de Seda (Florianópolis /SC).

     

    Sobre o projeto:

     

    O projeto Café com Dança foi imaginado como uma forma de oportunizar momentos de intercâmbio entre artistas, professores, pesquisadores, coreógrafos e estudantes da área artística e comunidade interessada na reflexão sobre dança na contemporaneidade. Teve início no ano de 2013 com o intuito de promover debates qualificados sobre questões relevantes e atuais envolvendo a dança em suas perspectivas pedagógica, histórica, sociopolítica e artística; assim como de contribuir para a formação de um público crítico e receptivo a questões relativas à dança e à arte contemporânea. Ao longo dos últimos anos, o Café com Dança vem promovendo ações na UFSC, tais como a organização de palestras, mesas de discussão, projeções de vídeo-dança, vídeo-documentários, conferências dançadas, vídeo-palestras e atividades afins.

    O terceiro ciclo do projeto, intitulado Dança e Articulações, tem como objetivo buscar pontos de encontro entre dança e diversas artes e campos do conhecimento. Neste sentido, pretende apresentar diferentes movimentos, acadêmicos e artísticos, que coloquem a dança em interface com outras disciplinas, assim como produções realizadas em diferentes campos do saber fundadas no encontro com a dança. O projeto recebe pesquisadores e artistas que articulam dança com filosofia, história e artes cênicas, entre outras áreas.

     

     

    Ficha Técnica:

     

    Coordenação: Vera Torres – DEF/CDS

    Débora Zamarioli – ART/CCE

    Bolsistas: Madalena Mendes Brito

    Identidade Visual: Mônica de Souza e Lyssa Morais

    Apoio: Secretaria de Cultura e Arte – SeCArte/UFSC

    Centro de Desportos/UFSC

    Departamento de Artes/CCE/UFSC

     


  • MAÇÃ – Mostra Acadêmica de Artes Cênicas

    Publicado em 21/11/2017 às 16:31
    A MAÇÃ, Mostra Acadêmica de Artes Cênicas, é um evento realizado pelas alunes do curso de Artes Cênicas da UFSC que este ano acontecerá do dia 26 de novembro à 7 de dezembro de 2017.
    Escolhemos o tema MAÇÃ SISU da Cênicas Resiste pensando na movimentação política atual, nos golpes e retrocessos que o país vem sofrendo e nas repercussões de censuras e ataques contra a arte, assim como na politica do nosso curso; a desarticulação dos alunes e a falta de diálogo com os mesmos referente a assuntos que interessam a todes como a perda de ingresso via SISU no ano de 2017, o CAAC(Centro Acadêmico de Artes Cênicas) reconhece como a retirada deste direito nos distância da inclusão social de alunes de classes sociais menos favorecidas em nosso curso, por isso nos mantemos SISUDAS e trazemos foco a discussão: Cadê o SISU que estava aqui?
    Organização CAAC